Quando jogam sua vaquinha no abismo…

Vaquinha

Eu não vou ficar me explicando o porquê eu fiquei um tempão sem postar 😛

………………………………….. Gata no teclado dá nisso… ela bem que tenta desviar, mas não consegue…

Voltando a outro animal, a vaquinha. Muitas coisas aconteceram nesse tempinho todo, algumas muito boas e outras pelo menos quando aconteceram pareciam ruins. A boa é que estou trabalhando em um hospital que eu já fiz estágio. Estou como folguista o que representa trabalhar em TODOS os turnos possíveis , mas isso não me incomoda e eu gosto disso. Diversificar os horários me faz bem. A ruim é que estou saindo da Clínica. O clima lá estava insuportável e lógico que não quiseram renovar o meu contrato. Fiquei triste claro, mas muuuuuuito aliviada por não ter que conviver com uma certa pessoa mal-educada, falsa e mentirosa. Que ela seja bem feliz e que colha tuuuudo o que tem plantado! É o que posso desejar no momento 🙂 . Eu sei que fiz um ótimo trabalho inclusive as pessoas que a opnião me interessa é que reconhecem isso. E o legal é ver o povo trsite pela minha saída, eu acho que isso ela nunca vai ter, assim como nunca vai aprender a fazer os exames direito haha! Ai credo, quanta maldade no meu coração! Me deixa, eu mereço “desabafá”! Eu fiquei com uma sensação de que não adianta estudar, comprar livro caro, se esforçar pra aprender e fazer da melhor maneira possível (não estou aqui dizendo que sou melhor caramba! eu dou o meu melhor que deve estar abaixo de muitos melhores por aí!), o negócio mesmo é casar com o dono, ou pelo menos morar com ele.

Planos para arranjar outro trabalho, currículos, vestibular, ou seja eu não paro mesmo. Só arrumo sarna pra me coçar hehe! Vou tentar o tecnólogo de inverno da UTFPR que eu ainda chamo de CEFET (com sotaque beeeem paranaense rs) Não vou deixar a peteca cair, como disse o Amorzo: “Onde vc enxerga um problema, na verdade há uma oportunidade” .

No mais o Mateus quebrou o dedo, arrancou um dente que estava com abcesso e experimentou o gás do riso na dentista tudo num dia só… foi terça-feira. Tadinho, ele disse que foi o pior dia da vida dele. Falou que escutou música na hora do gás e parecia que estava em outro universo com alienígenas. Como ele quebrou o dedo? Brincando com a Ebony… coisas de menino, jamaaaais entenderei.

A Carol tá na Inglaterra, o Léo viajou tbm nosso grupo está internacional rs… fora a Rê que foi embora pra SC. Saudadinha da minha ovelhinha e da minha ovelhão!

Vou lá nanar um pouquinho neste friozinho gostoso que estava demorando pra chegar!

Quanto à vaquinha:

Um Mestre da Sabedoria passeava por uma floresta com seu fiel discípulo quando avistou ao longe um sítio de aparência pobre e resolveu fazer uma breve visita.
Durante o percurso ele falou ao aprendiz sobre a importância das visitas e as oportunidades de aprendizado que temos, também com as pessoas que mal conhecemos.
Chegando ao sítio constatou a pobreza do lugar, sem calçamento, casa de madeira, os moradores, um casal e três filhos, vestidos com roupas rasgadas e sujas, então se aproximou do senhor, aparentemente, o pai daquela família e perguntou:
– Neste lugar não há sinais de pontos de comércio e de trabalho. Como o senhor e a sua família sobrevivem aqui?
E o senhor calmamente respondeu:
– Meu amigo, nós temos uma vaquinha que nos dá vários litros de leite todos os dias. Uma parte desse produto nós vendemos ou trocamos na cidade vizinha por outros gêneros de alimentos e a outra parte nós produzimos queijo, coalhada, etc. para o nosso consumo e assim vamos sobrevivendo.
O sábio agradeceu a informação, contemplou o lugar por uns momentos, depois se despediu e foi embora.
No meio do caminho, voltou ao seu fiel discípulo e ordenou:
– Aprendiz, pegue a vaquinha, leve-a ao precipício ali na frente e empurre-a, jogue-a lá em baixo.
O jovem arregalou os olhos espantado e questionou o mestre sobre o fato da vaquinha ser o único meio de sobrevivência daquela família, mas, como percebeu o silêncio absoluto do seu mestre, foi cumprir a ordem.
Assim empurrou a vaquinha morro abaixo e a viu morrer. Aquela cena ficou marcada na memória daquele jovem durante alguns anos e um belo dia ele resolveu largar tudo o que havia aprendido e voltar naquele mesmo lugar e contar tudo aquela família, pedir perdão e ajudá-los. Assim o fez. Quando se aproximava do local avistou um sitio muito bonito, com arvores floridas, todo murado, com carro na garagem e algumas crianças brincando no jardim. Ficou triste e desesperado imaginando que aquela humilde família tivera que vender o sítio para sobreviver.
Acelerou o passo e chegando lá, logo foi recebido por um caseiro muito simpático.
Perguntou sobre a família que ali morava há uns quatro anos e o caseiro respondeu:
– Continuam morando aqui.
Espantado, ele entrou correndo na casa e viu que era mesmo a família que visitara antes com o mestre. Elogiou o local e perguntou ao senhor (o dono da vaquinha):
– Como o senhor melhorou este sitio e esta muito bem de vida???
E o senhor entusiasmado, respondeu:
– Nós tínhamos uma vaquinha que caiu no precipício e morreu. Daí em diante, tivemos que fazer outras coisas e desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos. Assim, alcançamos o sucesso que seus olhos vislumbram agora.

BjoS!

Uma resposta

  1. vc vai ser feliz em tudo aquilo que fizer meu doce.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: