Parto Normal X Cesárea

Essa discussão parece nunca ter fim, ainda mais quando você escolhe o “lado” que você quer ficar. Em todo lugar perguntam do bebê e como ele nasceu e é inevitável tocar no assunto.

Ontem passei por uma experiência no mínimo estranha. Uma senhora me perguntou como a Laís tinha nascido, falei que de Parto Natural (que sim é diferente do “normal”) e que meus dois outros filhos tinham nascido de Parto Normal também.

Gente, ela me olhou mais ou menos assim:

Nójeeeento!

Eu fiquei sem ação na hora, ela falou:

– Sou instrumentadora cirúrgica e acho o Parto Normal uma coisa horrível!

– Realmente, o que vocês fazem com as mulheres no hospital deixa o parto horrível mesmo. Pra começar deixar a mulher deitada, é a pior posição pra parir.

– Ah mas não fica totalmente deitada, a cabeça fica um pouco levantada…

– Mas a barriga fica pra cima fazendo o útero lutar contra a gravidade, o sacro fica pressionado diminuindo o tamanho do canal de parto, só dificulta!

– Mas como que tem que ser então??? (Já indignada e achando tudo uma loucura.)

– Do jeito que a mulher quiser na hora!

– Mas NINGUÉM consegue fazer isso, na hora a mulher fica muito desesperada! (Olha, eu concordo que se eu tivesse ela do meu lado na hora eu ia ficar desesperada…)

– Se eu consegui quem disse que ninguém consegue? É só ter perto da mulher pessoas que ajudem ela de verdade, sem ficar mandando ela fazer força na hora errada, força de cocô, se ela fizer força de cocô ela vai fazer cocô oras! Eu tive a Lais de 4 na cama do quarto do hospital, nem fui pro centro cirúrgico, não precisa ir quando está tudo bem.  A Andrea (minha amiga que estava no mesmo lugar que a gente) teve na água na banheira do hospital.

Ela ficou sem argumentos, meu marido chegou, eu me despedi. Dessa vez pelo menos eu  não tive que escutar como uma cesárea é pratica (e pra ela também é lucrativa né? ) e blá blá blá whiskas sachet.

Aí eu fiquei pensando… como o mundo e as pessoas são estranhas. Quando uma mãe ou bebê morre durante uma cesárea ou depois por conta de alguma complicação (e acreditem há muito mais mortes por cesáre que por partos normais) ninguém vai fazer escândalo na mídia, ninguém fica indignado pelo médico ter marcado a cesárea antes do tempo, antes de feriado, férias, viagem “importante”. ALiás, ninguém nem cogita que a cesáre possa ter desencadeado algum problema. O que se vê é uma ignorância total de como o corpo da mulher funciona, de quando os procedimentos são realmente necessários. As mulheres optam pela cesárea porque ela é mais cômoda e prática, melhor ir lá te cortam, tiram o bebê pra você e você não tem que fazer nada. Melhor ficar na ignorância sobre como o seu corpo funciona. Mas todo mundo sabe de pelo menos 5 casos da filha da prima da vizinha que morreu no parto, que foi cortada, que o bebê tem paralisia cerebral…

E sinto muito dizer, os úteros na sua grande maioria funcionam muito bem! O que está com problemas é a cabeça das pessoas.

Uma participante do Gesta que queria muito fazer um parto normal teve que fazer uma cesárea de emergência. Ela se preparou para o parto, fazia os exercícios e tudo mais. No fim da gravidez a pressão subiu, começou a comprometer o fluxo sanguíneo do bebê e foi feita uma cesárea de emergência no MESMO dia. Esse é um caso de uma cesárea necessária. O bebê provavelmente teria problemas durante o trabalho de parto (que exige do bebê também, ele participa junto).

Mas quantas cesáreas de emergência eu já vi marcadas para daqui 5 dias? Porque o cordão está “perto do bebê”, a bacia da mãe é muito estreita, o bebê ainda não está encaixado ou a mulher tem escoliose???

Ah Marilia, eu tive 84728457824 cesáreas e estou bem, meus filhos todos lindos correndo pulando por aí, me dando maior trabalho! O que conta é o bebê, o que conta é que deu tudo certo no final…

Eu sei, mas eu não entendo. Me desculpa. Eu não entendo uma mãe optar por um procedimento que tem mais riscos, onde ela VAI sentir dor (depois mais vai) por medo da dor. A dor do parto passa, 15 minutos depois do parto da Lais eu tomei banho TOTALMENTE SOZINHA comi e fui no berçário ver ela.  É muito diferente. A Laís era prematura e nasceu com Apgar 9 e 10, durante o parto há hormônios que são liberados para o bebê que ajudam ele a respirar quando nasce. Na cesárea agendada sem entrar em trabalho de parto isso não acontece. São muitos os casos de complicações respiratórias de bebês que nascem de cesárea.

Ah Marilia, mas tem muita mãe que o bebê nasce de parto normal e é péssima mãe, isso não tem nada a ver.

A questão nunca foi essa, eu queria era dar uns sopapos na primeira mulher que falou: eu não sou “menas” mãe porque tive meu filho de cesárea! A questão é a saúde, é o engano que se perpetuou de que a cesárea é a melhor escolha, ela nem deveria ser uma escolha, ela deveria ser usada em situações específicas onde o parto apresenta um risco maior que a cirurgia.

Mas o que ainda me deixa mais triste são as mulheres que querem ter um Parto Normal e respeitoso e não podem. Não podem porque não se preparam, porque o médico jamais deixará ela entrar em trabalho de parto, porque a família aterroriza tanto que ela perde a paciência e marca a cesárea, porque o medo supera a confiança no seu próprio corpo. E quando elas chegam a ter um Parto Normal ele vem cheio de intervenções que não eram necessárias para apressar tudo e acabar logo, afinal para o médico não é nada lucrativo ficar ali esperando.

Nessa reportagem aqui o meu GO Dr. Alessandro Galleto fala:

O parto humanizado é aquele com menor intervenção possível, ou seja, com menos medicamentos e sem intervenção de conduta. “É proporcionar à mulher uma condição que ela considere a ideal para a realização do parto, com a presença de acompanhante, num ambiente tranquilo”, explica ele.

Segundo Galletto, a medicina transformou o momento da chegada do bebê em algo mais complexo. O que sempre aconteceu de forma natural, em qualquer ambiente, foi levado para dentro do hospital e cercado de tecnologias. “A humanização é o resgate do que era o modo mais fisiológico possível.”

E ainda mais:

 O médico afirma que toda mulher deve saber do funcionamento do seu corpo e das possibilidades existentes para o momento de parir. “É preciso dar informação para quem quiser fazer de maneira natural, ter oportunidade para isso. Minha função é detectar problemas e, desde que não haja nenhum, a mulher pode fazer o que quiser.

Quem dera todos os médicos pensassem assim, e todas as mulheres soubessem que o papel dos médicos é esse e o delas é parir se tudo estiver bem.

BjoS!

Solta o som!

Soul Parsifal

Legião Urbana

Composição : Renato Russo / Marisa Monte

Ninguém vai me dizer o que sentir
Meu coração está desperto
É sereno nosso amor e santo este lugar
Dos tempos de tristeza tive o tanto que era bom
Eu tive o teu veneno
E o sopro leve do luar

Porque foi calma a tempestade
E tua lembrança, a estrela a me guiar
Da alfazema fiz um bordado
Vem, meu amor, é hora de acordar

Tenho anis
Tenho hortelã
Tenho um cesto de flores
Eu tenho um jardim e uma canção
Vivo feliz, tenho amor
Eu tenho um desejo e um coração
Tenho coragem e sei quem eu sou

Eu tenho um segredo e uma oração
Vê que a minha força é quase santa
Como foi santo o meu penar
Pecado é provocar desejo
E depois renunciar

Estive cansado
Meu orgulho me deixou cansado
Meu egoísmo me deixou cansado
Minha vaidade me deixou cansado
Não falo pelos outros
Só falo por mim
Ninguém vai me dizer o que sentir

Tenho jasmim tenho hortelã
Eu tenho um anjo, eu tenho uma irmã
Com a saudade teci uma prece
E preparei erva-cidreira no café da manhã
Ninguém vai me dizer o que sentir
E eu vou cantar uma canção p’rá mim

Hoje acordei com essa música na cabeça, ela faz muito sentido.

BjoS!

Encontros, desencontros, reencontros…

Ou também poderia chamar de:

Minha vida, uma novela mexicana. (Globo, me contrata kkk)

Ano passado foi um ano especial, de sustos, de recuperações… se for pensar bem foi basicamente isso. Susto e recuperação.

Hoje eu quero falar sobre uma pessoa em especial. 2010 me trouxe alguém que eu não sabia que existia (mas eu acho que sempre senti que ela existia).

Vamos viajar pro ano passado… (roda a imagem e embaça…)

Eu estava lá, grávida de novo. Não sabia ainda o que era. A família toda me achando louca surpresa com a gravidez. Biel bem recuperado da fratura do fêmur quando recebo um email:

Oi

Desculpe estar incomodando

Meu nome é Ênio.

Se você for quem eu penso que é ainda vamos acabar trocando mais alguns emails.

Mas antes gostaria de saber se seu pai é XXXXX? (E sim meu pai é o XXXXX KKK)

Mas não respondi, resolvi falar com ele primeiro, vai que era algum amigo dele procurando, ou sei lá, alguém cobrando algo, vai saber né? Mas fiquei com o negócio na cabeça.

Meu pai me ligou e eu resolvi perguntar se ele conhecia alguém com o nome da pessoa que me enviou o email.

Ele falou que não, e continuamos conversando e não falei mais nada. Mas lógico que eu sou curiosa e fui atrás de responder o email pra saber por quê afinal estavam procurando o meu pai?

Papo vai papo vem a pessoa do email me responde:

Há alguns anos namoro com uma moça, Polianne.

Sempre ouvi falar nas historias do pai dela, XXXXXX, porem ela nunca o conheceu.

Então estou tentando buscar informações sobre o paradeiro dele e uma possível meio irmã, Marília Carolina.

Aí sim gente, gelei! Como assim eu tenho uma irmã e nunca ninguém me contou nada???

Como assim não vou mais ser filha única do meu pai??? (Relevem… eu estava grávida…)

Como assim, eu pedi uma irmã anos atrás e Deus me mandou um irmão, e deixou ela guardada??? (Percebam os graus de revolta, com as pessoas em geral, com meu pai e com Deus kkk)

Enfim… vários dramas pra uma grávida só rs…

A partir daí fui conversando com o Ênio, fui no orkut da Polianne pra ver as fotos e aí sim! Não tinha como negar. Se ela não fosse filha do meu pai, era de algum tio! As semelhanças são incríveis! Tinha que ver issaê.

Ah gente, e sem esse papo de ” por que ela não procurou antes” . Eu nem faço ideia de como é crescer sem saber quem é o pai, sem saber se está vivo, se está bem. Quando eu soube de tudo isso, a princípio eu fiquei chocada sim, mas logo depois eu me coloquei no lugar dela. E se fosse comigo? E se eu encontrasse uma irmã agora, o que eu ia querer que ela fizesse???

Os dias seguiram, fomos (eu e a Poli) conversando pelo MSN, descobrimos altas coisas engraçadas. Ela nasceu um pouquinho antes que meu irmão (por parte de mãe, pra quem não sabe meus pais são separados desde que eu tinha menos de 1 ano – corrigindo: segundo minha mãe eu tinha 1 ano e 5 meses). Temos gostos musicais parecidos, temos um carro igual, fazemos a mesma cara quando estamos brabas. Olha, vou confessar, nem se eu pudesse construir uma irmã pra encontrar assim depois de (cof, cof) velha teria feito melhor!

Ok, aí eu estava com uma missão. Contar para o meu pai. Ele não é cardíaco nem nada, mas gente, pensa… como que eu ia contar pra ele? Fui procrastinando… veio a ecografia pra saber o sexo do bebê. Descobri que era menina! Todos “comemora, chora, telefona” pra dar os parabéns! Foi quando eu tive uma ideia. Ia aproveitar essa história de neta aí pra contar pro pai que ele tinha mais uma filha.

Segue o diálogo:

– Parabéns filha! Quer dizer que agora veio uma menina?

– Pois é pai, obrigada! Mas sabe o que é, eles estavam com uma promoção.

– Como assim?

– Tenha uma neta e ganhe uma filha de brinde!

E aí fui contando dos emails, dos MSNs… ele teve um treco hahaha! Mas foi atrás de tudo, viu que era verdade e eles se encontraram. Ela mais tarde conheceu a família e no final do ano (achei tão fofo) fizeram uma surpresa lá na casa dos meus primos Carol e Rui para a gente se encontrar.

Quando eu abracei ela pela primeira vez, parecia sei lá… sabe aquela amiga que você gosta e encontra depois de anos? Foi essa a sensação. Conversamos muito, ela conheceu a Lais o Biel o Mateus e o Dani, conheci o Ênio também e não lembro se agradeci por tudo o que ele fez, mas se não fiz isso eu faço agora, obrigada!

Teve até fotinho!

Eu, Poli, Pai, Tia Mara e Lais

Eu que me achava parecida com meu pai, ela é ainda mais rs.

Poli e Lais

Eu e a Poli 🙂

E hoje em dia sempre estamos em contato, quando não pergunto dela pro pai, eu falo com ela no MSN :). Amei ganhar uma irmã, só fiquei triste mesmo que isso aconteceu só agora, mas a gente aproveita o que vem aí pela frente!

(Eu só não escrevi o nome do meu pai porque eu não falei com ele sobre o post, a Poli já estava avisada;))

BjoS!!!!

Sossegai…

Foto tirada no restaurante "Tortas Alemãs" aqui em Londrina, um dia beeeem sossegado 🙂

Muitas vezes na vida nos encontramos em uma espécie de encruzilhada. Vários caminhos a seguir e tal, mas o construtor da estrada não deixou placas ali pra você saber pra onde está indo.

E olha, dá um aperto no coração quando isso acontece. Mas se tem algo que aprendi com a minha vó Aracy é não desanimar e não perder a fé em nenhum momento da vida.

Minha vó tinha muita fé. Ela tinha fé por ela e por todos da nossa família. Mesmo ali no momento em que estava partindo ela recitava com fé o Salmo 23.

Quando eu era pequena la em Barbacena eu morava com ela e meu avô. E no verão sempre dava muita tempestade, daquelas fortes, com ventos, raios, trovões… daquelas que eu morro de medo e tenho dor de barriga até hoje :P.

Engraçado que ela sabia desse medo (também, até hoje é óbvio e eu fico com dúvidas se consigo esconder isso das crianças) e eu não sei se ela também tinha, se tinha eu não conseguia perceber. Ela sempre cantava um hino da igreja chamado Sossegai (clica aí pra ler a letra) e me colocava no colo dela e esperava eu dormir.

Hoje eu não tenho o colo dela, mas eu tenho a lembrança. E quando vem uma tempestade, ou quando ela ameaça vir eu canto.

Não, não tem nada grave acontecendo. São coisas normais da vida, mas que por alguns instantes parece que tiram a nossa paz. Mas aí eu canto, lembro da minha vó, das coisas que ela me ensinou e vou seguindo.  Depois da esquina você consegue ver a estrada novamente, até chegar em outra esquina ;).

BjoS!

%d blogueiros gostam disto: