Exercer democracia

Eu pensava que exercer a democracia era a cada 2 anos participar de eleições e  de eventuais plebiscitos. Eu achava que estava fazendo a minha parte! E olhe lá, nas últimas eleições eu só justifiquei o voto (ok, então nem a minha parte eu tava fazendo direito, vamos combinar…). Até eu participar da Conferência Municipal de Políticas para Mulheres em Londrina. O objetivo da Conferência é: Elaborar o Plano de Políticas para Mulheres. Esse plano será levado para a Conferência Estadual e mais tarde para a Federal que será em Brasília (cejura?) em dezembro.

O tema da Conferência foi: “Enfrentamento à pobreza e promoção da autonomia das mulheres”

“Tá bom Marilia, mas como que você foi parar num evento desses?”

Explico: eu coordeno junto com a Pati Merlin e a Thelminha o GestaLondrina que é um Grupo de Apoio ao Parto Ativo. Ele é um grupo apoiado pela Parto do Princípio, um GAPP. A Kiki da PP (acostumem-se com esses apelidos e abreviações rs…) me enviou um email falando da Conferência, (meu marido enviou uma nota do site da Prefeitura que ele sempre acompanha) e me convidou a participar como delegada. Lógico que eu aceitei! Infelizmente pela PP não ser uma instituição formalizada eu não consegui ser delegada, fui como observadora. Mas com o carão e o tico de coragem que Deus me deu fui com todas as moções e propostas que elas me enviaram por email X). Quando falo que sou mesmo metida as pessoas não entendem… é nesse sentido de se “meter” e fazer as coisas.

Na sexta à noite cheguei na Câmara munida de pastinha, prancheta, papéis e caneta para a abertura. Peguei lá o crachá, tentei reconhecer alguém no meio das pessoas e bati um papo meio tímido com uma das participantes que me conhecia (e eu não lembro de onde, simata).

Aí teve o café, delicioso por sinal. E grazadeus chegou alguém conhecida! A Marisse (amiga do Gesta), e estava como delegada pela

Ana Carolina, Eu , Lais e Marisse

OAB! Mostrei os papéis que tinha levado da PP e destacamos dentro do plano que apresentaram as que se adequavam à nossa realidade do município. Foi feita a abertura. Cantaram o hino de Londrina e eu morri de vergonha de não saber cantar kkk! Um pouco antes de terminar eu tive que sair, fui entregar um sling pra uma pessoa que viajaria no sábado. Nossa outra amiga, também delegada, chegou logo depois que saí, a Ana Carolina. Elas ficaram até o final que eu creio não ter tido nada demais porque nem comentaram nada comigo haha!

Eu e Lais

No sábado pela manhã eu acordei porque tinha sonhado que tinha ligado pra Marisse avisando que eu não poderia ir. Levantei no pulo, Lais ainda dormia, dei mais um tempinho pra ela e assim que ela esboçou acordar nos arrumamos e fomos pra Camara novamente.

Cheguei na hora do café, mas o eixo onde faríamos as propostas ainda não tinha sido abordado.

Todos acham fofa a Lais no sling participando da Conferência com direito até a um crachá. Vejam bem… rs.

Fomos para a plenária e fomos abordando e votando (eu não votava, só delegado vota) as propostas. Teve uma pausa para o almoço, o Amorzo foi buscar a Lais pra ela almoçar e quando volto pra plenária todos perguntavam dela kkk!

Conseguimos aprovar algumas propostas:

Garantir a licença-maternidade de no mínimo 180 dias para todas as trabalhadoras

Encaminhar projeto de lei ao Legislativo para ampliação do regime de exercícios domiciliares a partir do 8º mês e durante os 6 primeiros meses após o parto para as estudantes

Adesão do município ao Rede Cegonha e ao Mãe Paranaense.

Apoiar e incentivar a capacitação de doulas voluntárias

Apoiar e incentivar o trabalho de enfermeiras obstétricas e obstetrizes na assistência ao parto normal de risco habitual em hospitais e maternidades

Apoiar e incentivar a construção e funcionamento de Centros de Parto Normal: (re)abertura do diálogo e participação das mulheres

Garantir o cumprimento da Lei do Acompanhante

Elaborando propostas, redigindo, corrigindo...

Criação de um Comitê de Morte Materna onde haja a participação da sociedade. (A palavra correta me fugiu, n tá fácil terminar esse post kkk)

Criação de uma Ouvidoria da Secretaria da Mulher.

Houveram várias mudanças em propostas já existentes. Por exemplo uma que dizia respeito a campanhas na mídias pela prevenção do câncer do colo de útero e câncer de mama, prevenção da AIDS, igualdade de gênero e faltava ali campanhas de incentivo à amamentação e ao parto natural.

Moções que eu lembro conseguimos assinaturas para duas:

Moção de apoio à PEC 00515/2010, que aumenta para 180 dias a licença-maternidade

(Essa teve várias assinaturas!)

Moção pela adequação étnica e cultural na assistência ao parto.

Votação

Tudo devidamente votado e acordado. Lindo de ver mesmo. Sabe quando você

para por alguns segundos e pensa: tô participando de algo importante, que legal! Que privilégio!!! Pois eu pensei isso várias vezes :D. Como é fácil criticar tudo e não fazer nada para mudar. Como é fácil fazer piada de coisas importantes. Como existem mulheres batutas (expressão que minha prima Anica usa sempre e agora achei pessoas à altura para usar também!) nessa cidade!!!

Algumas pessoas podem pensar que é perda de tempo, que os caras que mandam mesmo não vão fazer o que estamos reivindicando. Mas se eu não faço nem e minha parte, como vou cobrar deles o que eles devem fazer?

Fica o meu incentivo para quem está pensando em participar ou não da Conferência no seu município. Participem! É uma experiência que muda sua maneira de pensar como cidadã. Eu que me achava super engajada com várias coisas percebi que tem muita coisa para ser feita! E pouca gente disposta a fazer. Mesmo sem papéis caneta e prancheta. Vá. Você tem poder de voz! Mesmo quem está como observadora pode participar. Só não vai votar, mas pode ajudar a elaborar melhor as propostas.

Desde cedo lutando pelos direitos da mulher 🙂

BjoS!

P.S.: Marisse e Ana Carolina vão para Curitiba para a Conferência Estadual como delegadas!!! Uhuuuuu!!!!

%d blogueiros gostam disto: