Fisioterapia do Biel (fêmur)

Eu fiquei de postar sobre como foi a recuperação depois da retirada do gesso. E peço desculpas por não ter feito isso antes :).

É que nos últimos dias de fisioterapia eu descobri que estava grávida e aí fui postergando o post, postergando…

Enfim, chega né gente, já fazem aí 3 anos que ele passou por isso e tá mais do que na hora de falar sobre o “pós-gesso”.

Durante o uso do gesso eu notei que nos primeiros dias, pelo cansaço da dor, por perceber que não poderia caminhar, brincar ele ficou muito deprimido. Mas logo ele foi dando um jeito de fazer as coisas que ele gostava.

Dançava com as mãos, aprendeu a falar muitas palavras, brincava com os carrinhos na barra do gesso… se virava no berço pra dormir! Quando eu via estava com uma das pernas pra cima!!!

E chegou o dia mais que esperado que foi a retirada do gesso. Ele se assustou bastante com a máquina que cortava porque fazia muito barulho e ele pensava que iam cortar a perna dele :(.

E aí que começa mesmo a recuperação. Coisas que notamos que podem acontecer também com outras crianças mas que é normal:

  • A pele dele estava cheia de bolinhas, de casquinhas. Demorou mais de um mês pra sair tudo.
  • Ele não sabia mais sentar, engatinhar, andar. Acho que ficou feliz porque não tinha gesso, mas estava muito inseguro. Ele tinha muito medo que fosse doer quando mexesse. 
  • A perna que quebrou estava visivelmente um pouco mais curta que a perna “inteira”. Isso é normal, a perna que quebra vai crescer mais que a outra. Hoje com 4 anos, quase 5, a gente nem nota mais a diferença.
  • A perna quebrada também vai parecer mais fina, magra. Isso depois volta ao normal.

    gesso

    Primeiro banho, primeira fisio, sentando pela primeira vez, ficando em pé no sofá, engatinhando, ficando em pé com apoio e finalmente em pé sozinho!

Ele fez um mês de fisioterapia 3 vezes por semana. A Fisioterapeuta tinha muuuuita paciência. por muitas vezes ele só queria brincar e não fazer o que ela pedia, porque mexia na perna dele e ele tinha medo que doesse. Não doía, mas ele tinha muito medo. Ela usava muito a curiosidade dele para alcançar as coisas, a vontade de andar na esteira pra que ele fizesse os exercícios sem perceber.

Na primeira semana na última sessão ele sentou.

Na segunda semana em casa ainda ele começou a engatinhar.

Na terceira semana lá na fisioterapia ele começou a dar os primeiros passos.

Cada criança tem um ritmo. Confesso que quando tiraram o gesso eu fiquei muito preocupada dele não conseguir nem colocar o pé no chão. Mas depois das 3 semanas de fisio ele se recuperou totalmente!

Se posso dar um conselho é ter muita paciência, com a criança na fisio e com o profissional que atende. Às vezes a criança chora, reclama, mas é preciso fazer o exercício corretamente pra ter um melhor resultado.

Espero que tenha ajudado quem quer saber sobre a recuperação depois do gesso!

BjoS!!!

Como cuidar de uma criança com gesso pélvico podálico

Update! Eu finalmente fiz um post sobre como foi a recuperação após a retirada do gesso, você pode conferir aqui:

https://marimercer.wordpress.com/2013/01/28/fisioterapia-do-biel-femur/

Olá queridos!

O Biel já tirou o gesso! Uhúuu! Ainda não voltou a andar, está engatinhando e aos poucos ficando em pé, estamos acompanhando com uma fisioterapeuta (paciente ao extremo) e está tudo indo bem. Foram 31 dias de gesso, não foi fácil, mas tem hora que ligamos o automático e só pedimos a Deus para que o tempo passe logo. E não é que passou???

Mas eu quero postar aqui algumas coisas sobre como cuidar de uma criança com um aparelho gessado que além de limitar os movimentos, ainda é bem difícil de higienizar. Mas nada é impossível para uma mente criativa (oi?) e para quem vive na era da Fralda com Fecho em Velcro, há!

Primeiro os cuidados que todo gesso merece ter:
(Dr Celso Rizzi)
1- Esperar o gesso secar, se possível, ao sol e mantê-lo descoberto até que esteja completamente seco (24 – 48 horas).
O aparelho gessado parece inicialmente seco, mas estará em sua forma mais resistente apenas após 48 hs, por isso não apóie em nenhum local duro antes de completar este tempo porque poderá danificar o gesso e comprimir o membro imobilizado.

2- Manter o membro imobilizado na posição orientada pelo médico.
As imobilizações ao nível do membro superior devem iniciamente estarem em uma tipóia para evitar um edema ao nível dos dedos. Nos membro inferiores as primeiras 48 hs são importantes devido ao edema que se faz após o trauma inicial, por isso mantenha as pernas elevadas.

3 – Ao tomar banho, proteger o gesso de forma que o mesmo não entre em contato com a água (não molhar).
O gesso em contato com a água acaba amolecendo e se tornando quebradiço, por isso pode se tornar ineficaz e também prejudicar o tratamento ortopédico.

4- Não colocar nenhum objeto dentro do gesso, como por exemplo: caneta, lápis, régua e outros objetos pontiagudos.
Os objetos perdidos dentro do gesso provocam dores e com o passar do tempo podem causar uma ferida ou até uma úlcera.

5- Não apoiar sobre nenhum local rígido o membro imobilizado, se não for autorizado pelo seu médico.
Como dito anteriormante, o aparelho gessado danificado pode provocar compressão e causar uma lesão na pele ou mesmo em casos mais graves uma síndroma compartimental.

6 – Movimentar os dedos das mãos ou dos pés e demais articulações (“juntas”), não-imobilizadas, em todas as direções, várias vezes ao dia.
Esta movimentação tem duas finalidades: primeiro melhorar a circulação de retorno e evitar o edema de extremidade e segundo manter o tônus muscular e facilitar a reabilitação caso haja necessidade após a retirada do gesso.

7 – Procure atendimento médico urgente se:
– o gesso estiver apertado, com inchaço e palidez nos dedos;
– o gesso estiver amolecido quebrado;
– sentir dor forte e contínua, com dormência ou formigamento;
– apresentar febre.

Pelos cuidados básicos postados acima, percebe-se que: molhar o gesso, de jeito nenhum! Mas o gesso do Biel passa por lugares úmidos, de onde saem coisas fedidas (xixi e coco) e aí #comofaz?

O médico falou que era pra por uma fralda por cima e ir trocando, que ia molhar e feder mesmo, jogar um talco pra disfarçar.

Mas “jaméeeee” que eu ia me contentar com isso, a enfermeira no hospital já me deu um toque: “põe uma fralda por dentro”, e deu uma piscadinha.

E como talvez alguns pais desesperados (como eu estava) por alguma solução de como trocar fralda numa criança com gesso pélvico podálico possam aparecer por aqui em busca de informações úteis além de um drama familiar, resolvi fazer um PAP (Passo a Passo) de como trocar a fralda de uma criança com gesso PP (vamos apelidar ele de pepê que fica mais bonitinho):

Outra dica importante, se a parte de trás do gesso por ser muito grande ficar muito perto do bumbum, peça para o médico cortar um pedaço, fica melhor pra higienizar.

Nas bordas do gesso convém colocar um micropore (esparadrapo maciozinho) principalmente na parte de trás perto do bumbum. Assim evita que o gesso suje com fezes.

Para dar banho eu forrava o berço do Biel com plástico (abri 2 sacos de lixo de 50 litros) e depois com uma toalha.

Colocava uma bacia vazia em cima da cabeceira do berço e separava uma jarra com água morna. O Daniel segurava ele pela alça do gesso e pelas costas deixando a cabeça mais baixa que o corpo para não escorrer água na parte de trás do gesso.

Eu lavava a cabeça dele o Daniel deitava ele no berço, eu tirava a bacia e o corpinho eu lavava com uma fraldinha com sabão e água e depois enxaguava com uma fralda só com água.

Tomava sempre o cuidado de depois de usar a fralda nas partes íntimas não usar mais em outras partes, então deixava essa por último.

Depois secava com a toalha e passava talco onde eu conseguia por dentro do gesso para deixar um cheirinho bom e sequinho. colocava a fralda, a camiseta e pronto.

No inverno não sei como seria, porque não tem como colocar calça, mas se fosse o caso eu improvisaria com um meião tanto na perninha que estava com meia parte engessada quanto com a outra que estavam só os dedinhos do pé para fora.

Agora vamos de fotinhos do Biel desde o hospital (pedindo pra tirar foto com o óculos) até o ultimo domingo de gesso onde fomos comer um lancinho no Mc Donalds e o Daniel derrubou quase um litro de coca em mim… pois é.

Quero agradecer a todos que deram força pra gente durante essa fase difícil, seja pela internet, telefone,  seja vindo aqui (Kaká, te amo flor!) e muito obrigada mesmo pelo aniversário que vocês (Jana, Leo, Bela, Luizão, Gisele, Alexandre, Karine, Des, e todo o pessoal de Ribeirão Preto) proporcionaram pro Biel, ele amou o presente, tem brincado com ele todos os dias!

O próximo post eu quero fazer sobre a fisioterapia, e quem sabe sobre o segundo momento  “primeiros passos” do Biel? Torçam, porque eu não vejo a hora!!!

BjoS!

 

%d blogueiros gostam disto: